Vai intensificar as atividades físicas? Saiba como evitar lesões

A cada início de ano, as buscas na internet pelo termo 'emagrecer' aumentam, sendo essa também uma das metas anuais para algumas pessoas. Mas a vontade de atingir os resultados desejados, nem sempre viáveis, pode ser prejudicial.

E se o motivo não é perder peso, o verão brasileiro no começo do ano é um chamativo para que as pessoas se arrisquem mais em esportes ao ar livre.

Embora toda atividade que exija esforço do corpo possa causar algum dano, é mais benéfico se mexer do que ficar parado. "Se não fizer, existe uma série de problemas relacionados ao sedentarismo e outros que até mesmo ameaçam a vida em médio e longo prazos", diz o ortopedista Márcio Schiefer, professor adjunto da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Mas tudo precisa ser feito com moderação e sob a supervisão de um profissional capacitado. A personal trainer Dry Carvalho destaca que exagerar nas modalidades, fazendo mais de uma no mesmo dia, é um dos erros cometidos por quem quer intensificar a prática de atividades físicas.

"Se a pessoa acha que ficar sem comer um bom tempo, fazer várias modalidades no mesmo dia, de intensidade alta, ou crossfit, ou correr, tudo em exagero, vai fazer perder peso, não vai. A verdade é que o organismo vai sofrer um choque e acabar engordando mais. Tudo que você faz em excesso dá problemas, com probabilidade de aparecerem lesões", alerta a especialista em alongamento e musculação.

A seguir, os profissionais falam sobre como evitar lesões em algumas modalidades esportivas:

Futebol

As lesões mais comuns nesse esporte são entorse de joelho, de ligamento, do cruzado anterior (atrás do joelho) e possível ruptura do menisco. O ortopedista Márcio Schiefer diz que esses traumas são mais difíceis se serem prevenidos, então quem tem o futebol como atividade principal deve fazer também musculação e alongamento.

Outra dica é em relação ao solo onde o jogo ocorre. "A grama sintética está mais associada às rupturas de ligamento do que a grama natural, porque na sintética a chuteira prende muito. Sempre que possível, dê preferência a jogar na quadra com grama natural ou areia", afirma.

Musculação

O especialista explica que a alta intensidade, com sobrecarga e muitas repetições, pode ser prejudicial se a técnica usada estiver incorreta. "As lesões mais comuns são as musculares, muitas vezes se vê ruptura de tendão", que podem ocorrer no bíceps, tríceps e peitoral.

Para evitar contusões, deve-se respeitar a técnica adequada dos movimentos, sempre com um profissional de educação física por perto. Dry Carvalho complementa que fazer alongamento antes e depois da musculação ou de qualquer atividade física é muito importante.

"Antes, o alongamento ajuda a preparar e aquecer o músculo que estava em repouso. No pós, serve para relaxar os músculos que estão tensos", explica. Respeitar os limites do corpo é fundamental: o aumento do número de repetições ou da carga deve ser feito gradativamente, além de estabelecer junto com um profissional qual o melhor intervalo de tempo para descanso entre um treino e outro.

Corrida

Segundo Marcos Schiefer, alguns estudos indicam que a taxa de lesão na corrida é maior do que em outros esportes. "Essas lesões estão muito relacionadas à intensidade e ao tempo da prática. Quanto mais tempo se corre, mais suscetível o indivíduo fica às lesões, que muitas vezes vão se acumulando ao longo da vida", diz. Em alguns casos, a pessoa pode ter fratura por estresse no pé ou canelite, uma reação de estresse ou sobrecarga do osso.

Para evitar ferimentos nesse esporte, o ortopedista indica correr e praticar musculação para fortalecer a musculatura e mantê-la alongada. Além disso, a alimentação deve ser regrada para quem faz atividade extenuante, afirma. No caso de quem quer emagrecer, o médico ressalta a importância de um bom aporte calórico, ou seja: nada de correr muito e se alimentar mal ou não comer.

Natação

Essa prática física contribui para a respiração, não tem impacto nos membros inferiores, trabalha todo o corpo. Há quem diga que relaxa e traz disposição. Apesar das muitas vantagens, as lesões podem ocorrer dependendo da carga e técnica utilizadas. Se a atividade for muito frequente, o ombro pode sofrer consequências negativas.

"O ombro do nadador costuma ter uma hiperfrouxidão ligamentar. Ele faz tantos movimentos repetitivos com o ombro, de forma ampla, que a cápsula articular do ombro se alarga e fica mais frouxa que o habitual. Com isso, passa a requerer mais força muscular para estabilizar", diz o ortopedista. A recomendação para evitar esse tipo de lesão é praticar musculação a fim de manter um bom equilíbrio muscular da cintura escapular.

Crossfit

Caracterizada pela alta intensidade, essa modalidade resulta em queima calórica e bom ganho de massa muscular. Porém, de acordo com Schiefer, um dos problemas do crossfit é que a pessoa é estimulada a trabalhar o corpo no limite. As lesões mais comuns nesta atividade são na região lombar da coluna, nos ombros e joelhos por conta do levantamento de peso, flexão do tronco e agachamentos de forma repetida e com alta intensidade.

O especialista diz que a principal dica é ter cautela e, gradualmente, aumentar a carga e a intensidade de treinamento, respeitando seu próprio limite. "Sua competição não é com o colega ao lado, mas com você mesmo, porém com responsabilidade. Não adianta ficar uma semana treinando de forma intensa e depois ficar dois meses afastado', orienta o médico, que não recomenda a atividade para iniciantes - pessoas obesas ou acima do peso que eram sedentárias.

Schiefer indica associar uma atividade aeróbica - esteira ou ciclismo, por exemplo - à uma de fortalecimento muscular (como pilates ou musculação) para, depois, já com o peso mais reduzido e capacidade cardiorrespiratória melhor, entrar no crossfit.



Fonte: Terra
Site de Notícia, 14.JANEIRO.2020 | Postado em Notícia


  • 1
Exibindo 1 de 1
-->