Risco de internação pela covid-19 é 34% menor entre pessoas fisicamente ativas

Um estudo brasileiro concluiu que 150 minutos semanais de atividade física de intensidade moderada ou 75 minutos de exercícios intensos reduz em 34,3% o risco de internação hospitalar pela covid-19. A pesquisa foi desenvolvida por profissionais da Universidade de São Paulo (USP), Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRS) e publicado recentemente na plataforma preprint MedRxiv.

A equipe avaliou questionários respondidos por 938 pessoas que tiveram covid-19 e se recuperaram da doença. Desse total, 91 pessoas (9,7%) necessitaram hospitalização. Os resultados mostraram que as pessoas que praticavam a quantidade recomendada de atividade física por semana tinham um risco reduzido de hospitalização pela doença.

Além disso, de acordo com a pesquisa, aqueles que praticavam dois ou mais tipos de exercício, como andar de bicicleta e correr, tinham um benefício ainda maior. A redução do risco dessas pessoas foi de 46,2%. A associação permaneceu mesmo após serem contabilizados outros fatores, como idade, sexo, índice de massa corporal (IMC) e doenças pré-existentes.

Em entrevista à rede de televisão CNN, o neurocirurgião Fernando Gomes comentou a relação entre uma boa saúde e a prática de atividades físicas. "Uma coisa é a atividade física regular que traz saúde para o organismo, outra é o esporte profissional, que requer esforço a mais e provoca um estresse no corpo, podendo gerar impacto na imunidade. A gente sabe que a atividade física equilibra o corpo de forma interessante. Ela provoca benefícios relacionados a saúde mental, aparelho cardiovascular e sistema imunológico. A verdadeira trinca da saúde. Trinta minutos por dia de treino misto é capaz de equilibrar seus neurotransmissores, você terá menos ansiedade, estresse e pode evitar a depressão", disse.

Para entender melhor os benefícios da prática da atividade física em meio á pandemia, o Diário de Petrópolis conversou com um médico e um profissional de educação física da cidade.

Membro do corpo clínico do Hospital Santa Teresa (HST), o médico Marcelo Frazão frisa que a prática de atividade física é importante em diversos aspectos, entres eles, o psicológico. "A prática da atividade física é de suma importância durante uma pandemia. Primeiro pela questão psicológica, pois produzimos hormônios durante e após os treinos que nos dão a sensação de bem-estar. Segundo porque nossa saúde deve estar sempre em primeiro lugar e é, também, por meio dos exercícios físicos que garantimos um bom sistema imunológico, nos tornando mais aptos a combater infecções tanto virais quanto bacterianas", destaca.


Fonte: diariodepetropolis.com.br
Site de Notícia, 29.NOVEMBRO.2020 | Postado em Notícia


  • 1
Exibindo 1 de 1
-->